Entenda a fraude dos boletos bancários

Imagine a seguinte situação: você realiza um pagamento por meio de boleto bancário e, algum tempo depois, é cobrado pelo valor que já foi pago. Para comprovar o pagamento, você mostra o boleto e descobre que o valor que saiu da sua conta não entrou na conta correta.

O golpe dos boletos bancários, que tem trazido muita dor de cabeça aos consumidores, consiste na alteração de alguns números no código de barras. Como esses dados não costumam ser conferidos e os dados principais (nome do credor) não são alterados, as vítimas não percebem a fraude no momento do pagamento.

Golpe mobiliza administradoras – O golpe pode ocorrer pelo correio ou via internet. Diversos casos foram registrados em todo o País e até no exterior. Preocupadas com a situação de inquilinos e proprietários que se tornaram inadimplentes por causa da fraude, as administradoras de condomínios buscam alternativas para aumentar a segurança e alertar sobre como fugir desse golpe.

“Nós recomendamos que os clientes confiram todos os dados sem exceção. Os primeiros números do código de barras são sempre os mesmos, a fraude está no final da numeração e é isso que ninguém confere. Uma boa dica é pegar o boleto do mês anterior e comparar todos os números”, explica o diretor-jurídico da Associação das Administradoras de Bens e Imóveis de São Paulo (AABIC), José Roberto Graiche Junior.

Para diminuir o número de vítimas, é necessário que as empresas notifiquem sobre a fraude. Além disso, é importante fazer a divulgação de como conferir corretamente os boletos. Utilizar o Débito Direto Autorizado (DDA) em muitos casos é mais seguro.

“É um serviço que possibilita ao pagador, através do seu banco, consultar e pagar eletronicamente. É mais direto e mais seguro”, afirma.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou nota dizendo que está investindo para aumentar a segurança e dificultar fraudes em boletos.

Antes de pagar, fique alerta

  • Cheque os dados impressos, como número do banco, se o número do código de barra corresponde ao da parte de cima da fatura, CNPJ da empresa emissora do boleto, data de vencimento do título e se o valor cobrado corresponde ao devido pelo consumidor
  • Isso vale tanto para os boletos impressos através de sites na internet quanto para os que chegam na residência pelos Correios
  • Para tirar qualquer dúvida, compare o novo boleto com o do mês anterior, verificando os últimos números do código de barras
  • Consulte mais informações com seu banco e veja se é possível utilizar o pagamento via DDA

Fonte: iCondominial

Imagem: iCondominial

Leia Mais